Tina Menna

"Fui gordinha (gorda, balofa) quando era criança. Emagreci entendendo como funcionava a coisa e me formei em nutrição faz mais de 18 anos. Nesse tempo, ensinei milhares de pessoas a emagrecer, apresentei programa de televisão e fiz muitas coisas legais, muitas mesmo. E não esqueci que era preciso me cuidar e manter meu peso pra não precisar fazer dieta de novo. Me mudei de cidade e de país mas nunca deixei de seguir os hábitos brasileiros, nunca deixei de comer arroz com feijão. Só parei de comer requeijão porque onde eu moro não tem... Te convido pra fazer parte da Tinalândia! Sei que posso te ensinar a emagrecer sem ter que te empurrar goela abaixo métodos esquisitos e receitas caras e difíceis de fazer. Prometo. Um beijo e um queijo (ou tofu), Tina : ) "

UM VÍCIO SAUDÁVEL

Oiê, tudo bem meu povo?

Bom, essa semana visitei a Nutella algumas vezes na madrugada. O frio, a ansiedade em terminar um trabalho que tô demorando pra encerrar, a rebeldia das crianças no feriadão, a chuva…E também o sono picado, já que o Enrico me visita muito na madrugada, aff. Depois da maternidade, adquiri o “sono leve”. Acordo com qualquer barulhinho.

Desculpas e verdades à parte, visitei a Nutella. Achei que estava arrasando deixando o pote na mesma posição e lavando a colher rapidinho pra não deixar vestígios. Até que o Marcelo, no café da manhã de ontem, começou a contar uma história pras crianças dizendo que existia aqui no Canadá a “fada da Nutella”, que entrava nas casas de noite. Fiquei com uma raiva do deboche dele…mas foi engraçado. Claro que as crianças não acreditaram, embora a dúvida tenha ficado no ar.

Fui no meu calendário menstrual e nem estava na TPM ainda. Ai comecei a ler mais e mais sobre a insulina, assunto que tanto gosto, como vocês já sabem.

Segundo estudos, o açúcar e as farinhas refinadas, que obrigam o corpo a liberar insulina, agem no mesmo centro do nosso cérebro que as drogas. Das mais pesadas. Daquelas da pesada.

Algumas substâncias com terminações em INA, como cocaína, heroína, morfina, nicotina e insulina, por exemplo, exercem esse poder viciante dentro da nossa cabeça, literalmente.

Ou seja, o único vício bom na vida de vocês sou eu, Tina ! Ahhhhhh que maravilha encerrar um email assim, tão lindamente!! U-hul!

Um beijo, meus amores,

Tina – seu vício mais saudável ; )

Deixe uma resposta