Tina Menna

"Fui gordinha (gorda, balofa) quando era criança. Emagreci entendendo como funcionava a coisa e me formei em nutrição faz mais de 18 anos. Nesse tempo, ensinei milhares de pessoas a emagrecer, apresentei programa de televisão e fiz muitas coisas legais, muitas mesmo. E não esqueci que era preciso me cuidar e manter meu peso pra não precisar fazer dieta de novo. Me mudei de cidade e de país mas nunca deixei de seguir os hábitos brasileiros, nunca deixei de comer arroz com feijão. Só parei de comer requeijão porque onde eu moro não tem... Te convido pra fazer parte da Tinalândia! Sei que posso te ensinar a emagrecer sem ter que te empurrar goela abaixo métodos esquisitos e receitas caras e difíceis de fazer. Prometo. Um beijo e um queijo (ou tofu), Tina : ) "

A VIDA SEM CARNE EXISTE?

Oiê, tudo bem?

Como foi o final de semana?

Ontem, domingo de noite, depois de um longo final de semana gripada e de cuidar de um filho com febre alta (tadinho), assisti uma série de documentários sobre produção de carnes e de aves. Sim, eles não vem da bandejinha. Tem todo um processo automatizado pra que os filés de frango sejam limpos e fatiados, os bifes suculentos vermelhinhos e arrumadinhos na caixa. Bah…é uma loucura! Não pode ser só desse jeito nosso futuro.

A hiper produção de animais e a maneira com que são criados e abatidos, causa em muita gente um enorme desconforto. Confesso que fiquei assim ontem mas ainda não deixo de comprar. Talvez um dia eu troque as proteínas aqui de casa. Tô faz tempo ensaiando pra isso. Mas não é fácil.

Muita gente hoje já vai mudando as direções de consumo em função de preservar não só os animais como todo meio ambiente. Papo moderno e chato pra muitos, mas necessário.

Ao mesmo tempo fica a dúvida se o corpo humano daria conta de crescer e sobreviver com saúde sem bichos no prato, sem presunto no sanduiche. A resposta, claro, é sim. Mas nosso hábito continua falando mais alto pra grande maioria.

Acordei cedinho hoje porque fiquei com esse assunto rondando meus pensamentos. Ai calculei umas coisas aqui, consultei umas tabelas de nutrientes ali….e cheguei a uma “brilhante”conclusão, baseada, também, no fato de observar muitas pessoas engordarem depois de virarem “vegetarianas”: tudo é questão de informação e organização. E de insistência também.

Quem, na loucura e no calor do momento, exclui animais 100% da alimentação, de uma hora pra outra, corre o risco de engordar, e muito. Porque sai o bife e entra o bolinho de vegetais, o quiche, os grãos, os pães, os bolos, as frutas livres, as sementes, as naturebices, aos montes. E isso engorda, muito.

Talvez começar por diminuir com o consumo de animais e investir mais nos queijos e lácteos. Mas faltam ideias e orientações boas pra chegar nisso. Também tem o duelo da mídia com os lácteos. Me dá até preguiça as vezes…

O que não quer dizer que não seja possível. Veganos estão ai pra nos fazer pensar nisso, nem que seja aos poucos. Nem que a gente não vire vegano nunca. Mas é bom saber que temos outras opções de “vida”.

Acabei de me dar conta que preciso logo fazer um ebook sobre isso, sobre as opções de receitas sem carne mas que não engorde o povo. E que não desfaça nossa cultura.

Um beijo e boa semana,

Tina ; )

Deixe uma resposta